Investir em Ações e Criptomoedas na Revolut? Dá no Brasil?

Investir em Ações e Criptomoedas na Revolut? Dá no Brasil?

A Revolut, tal como outros bancos digitais, desempenha um papel cada vez mais relevante no setor moderno dos pagamentos.

Não é de se admirar!

Vivemos em um sem fronteiras e isso exige soluções compatíveis com o momento. Essa empresa fintech tem como principal objetivo tornar-se um banco verdadeiramente global.

No entanto, a Revolut ainda não chegou ao Brasil. Quando vai chegar? Olhamos em detalhe para essa questão neste artigo.

Mesmo sem estar presente ainda em alguns países importantes, a empresa tem apresentado números bastante sólidos:

  • +8 milhões de usuários;
  • +350 milhões de transações processadas;
  • +47 bilhões de Dólares transacionados.

A Revolut é o unicórnio em maior crescimento na Europa e caminha a passos largos para uma avaliação na ordem dos 9 bilhões de Dólares!

E sabe o que mais?

Além do papel que já tem ao nível dos pagamentos, a Revolut também quer facilitar o mundo dos investimentos, tornando-se uma bolsa de compra e venda de ativos financeiros, como ações, criptomoedas e até ouro.

Mas será uma boa opção para isso? É precisamente essa a questão que procuramos responder neste artigo.

Resumindo:

✓ Interface Intuitiva
✓ Adequada Para Principiantes
✓ Facilidade em Enviar/Receber Criptomoedas
✓ Banco Digital Inovador
✓ Muitas Ações Disponíveis
✕ Não Disponível no Brasil
✕ Poucas Criptomoedas
✕ Sem Acesso a Chaves Privadas
✕ Sem Ferramentas de Trading

1. O Que É Revolut?

A Revolut é um Banco Digital que tem como grande objetivo romper com o status quo nos serviços de pagamentos, normalmente controlados pelos grandes bancos.

Ou seja:

Torná-los mais rápidos e eficazes, e, ao mesmo tempo, cortar custos para os usuários.

Entre eles, os mais relevantes são os relacionados com as taxas quando você está em viagem.

A empresa tem sede no Reino Unido, onde foi fundada em 2015 por Nikolay Storonsky e Vlad Yatsenko.

Fundadores da Revolut
Vlad Yatsenko (CTO), à esquerda, e Nikolay Storonsky (CEO), à direita.

Com um objetivo tão disruptivo seria quase impossível não enfrentar a banca tradicional, certo?

Certo!

“Os bancos aproveitam-se da iliteracia financeira da maioria das pessoas (…) levam tudo que você tem.”

Nikolay Storonsky, CEO da Revolut

O CEO da Revolut já defendeu também que, devido às taxas que aplicam, os bancos não conseguem competir com a Revolut.

Polêmico?

Aos olhos dos usuários, essa postura perante o sistema tradicional tem até valido alguns pontos à Fintech britânica.

2. Revolut Está Disponível no Brasil?

Ainda não.

Sendo uma empresa com sede no Reino Unido, a Revolut começou por fortalecer a sua operação na Europa.

No entanto, já está se expandindo para alguns países fora do velho continente:

  • Austrália
  • Canadá
  • Singapura
  • Estados Unidos

Quando é que a Revolut vai iniciar a sua operação no Brasil?

Ainda não há uma data concreta, mas, da mesma forma que o seu concorrente N26 já anunciou a chegada ao Brasil, é natural que seja uma questão de tempo até a Revolut também começar a operar no país.

Neste momento já é possível aos usuários brasileiros entrarem na fila de espera por um cartão através do website internacional da Revolut.

Revolut Brasil
Basta seguir o botão “Join waitlist” para entrar na fila de espera.

3. Como Funciona Revolut?

Resumindo:

A Revolut funciona a partir de um aplicativo, disponível na Google Play e na App Store, onde, na Europa, tem oscilado entre as primeiras posições na lista das mais baixadas.

Revolut no Top da App Store
Top App Store.

O aplicativo funciona em conjunto com um cartão, que, na Europa, pode ser pedido de forma gratuita (apenas são cobrados os fretes).

Cartão Revolut
Cartão físico Revolut.

Pense desta forma:

  • O aplicativo é uma espécie de plataforma que controla tudo no cartão, como transações, montantes disponíveis ou até a password. É a vertente digital desse ecossistema, onde muita da “magia” acontece. Permite ainda enviar e receber dinheiro, dividir contas ou investir em ações ou em criptomoedas;
  • O cartão é a vertente física do mesmo ecossistema. Como sabe, por muito digital que queira ser, há situações em que ainda faz falta um cartão físico. Com ele pode ser usado em qualquer estabelecimento comercial, independentemente de esse já ter um sistema contactless ou que viabilize leituras de QR Codes.

Sendo um banco digital, tudo pode ser feito online. Nem precisa sair de casa!

Quase tão disruptivo como o Bitcoin, não?

4. Comprar Ações e Criptomoedas na Revolut

Como vimos, a Revolut quer democratizar o acesso a ativos financeiros.

No Brasil ainda não é possível usar esse aplicativo, mas, se estiver viver em um país onde o pode fazer, saiba que é muito simples investir em ações e em criptomoedas.

Direto através da aplicação, já pode investir em ações das suas empresas preferidas, como a Google, Amazon, Apple ou Tesla, por exemplo.

Existem centenas de empresas disponíveis, e comprar ações na Revolut é muito prático. Basta acessar o separador “Patrimônio” e escolher as “Ações” pretendidas em uma lista com centenas de opções:

Ações Revolut
Revolut disponibiliza centenas de opções populares.

Outra opção cada vez mais popular é o investimento em criptomoedas, que são cada vez mais populares, ao ponto de até já patrocinarem equipas da liga inglesa de futebol.

A Revolut dispõe de 5 criptomoedas:

Essa lista tem crescido, uma vez que a plataforma começou apenas com Bitcoin, Ethereum e Litecoin.

Também por isso é provável que no futuro sejam adicionadas novas moedas.

4.1 Como comprar Bitcoin na Revolut?

A simplicidade é um dos fatores que joga a favor da Revolut na hora de investir em criptomoedas.

Em primeiro lugar, através do menu inferior, deverá acessar o separador “Patrimônio” e escolher “Criptomoedas.

Criptomoedas Revolut
Passo 1 – Escolher criptomoeda.

É aqui que poderá adicionar a criptomoeda que pretende comprar. O Bitcoin, nesse caso.

Em seguida basta escolher o montante desejado e avançar:

Criptomoedas Revolut
Passo 2 – Escolher montante.

A partir daí poderá acompanhar no mesmo menu o balanço das criptomoedas que possui e a evolução das suas cotações.

4.2 Taxas aplicadas

Uma vantagem da Revolut é que permite que veja facilmente através do aplicativo as taxas de câmbio aplicadas em qualquer conversão.

Isso acontece tanto na conversão das mais de 30 moedas fiduciárias disponibilizadas como em criptomoedas.

No segundo caso, a taxa aplicada à compra e venda de criptomoedas deriva da Bistamp.

Adicionalmente, é aplicado ainda um custo de 1,5% que a companhia explica servir para “compensar a volatilidade”.

Na compra de ações, a Revolut indica que não são cobradas taxas, mas é preciso ter atenção, pois há um número limitado de operações sem taxas que varia de acordo com o tipo de cartão:

  • Metal – Sem custos nas trades
  • Premium – 8 trades grátis por mês
  • Normal – 3 trades grátis por mês

Uma vez que o limite seja esgotado, é cobrada uma taxa de 1GBP (Libra Esterlina) por trade, o equivalente a cerca de R$ 6,5.

5. Devo Usar a Revolut para Investir?

Uma dúvida que surge muitas vezes entre novos investidores é qual a plataforma mais indicada para começar, quer seja em ações ou criptomoedas.

A Revolut permite que tenha uma experiência de investimento em ações e em criptomoedas sem grandes complicações.

Além de ter um processo de registro simples e rápido (desde que esteja em um país em que o aplicativo já está disponível), a Revolut oferece ainda uma interface intuitiva.

É, por isso, uma plataforma facilmente indicada para iniciantes.

No entanto, se o seu objetivo for investir em criptomoedas, não deixa de ter algumas desvantagens, que poderão ser vistas como uma limitação para alguns usuários.

No caso das criptomoedas, a principal pode ser a impossibilidade de transferir as criptomoedas para uma wallet externa ou de as trocar fora da plataforma Revolut.

Isso acontece porque você não tem acesso às chaves privadas das criptomoedas.

O que é que isso significa?

É simples.

Ao comprar uma criptomoeda na Revolut estará, na realidade, comprando aquilo que a plataforma chama de “exposição à criptomoeda”.

Ou seja:

Estará adquirindo um valor associado ao preço da criptomoeda na plataforma Bitstamp (exchange com a qual a Revolut trabalha):

  • Se o preço subir, a sua exposição valoriza;
  • Se o preço cair, a sua exposição desvaloriza.

No entanto, aconteça o que acontecer, você apenas possui a exposição e não a criptomoeda que associada, tal como a Revolut explica no seu Centro de Ajuda:

“A Revolut mantém em segurança as chaves privadas de todos os usuários em um pool de carteiras de criptomoeda.”

Ou seja:

Tudo funciona em ambiente fechado.

Você pode comprar, receber ou enviar criptomoedas a outras pessoas, desde que seja “dentro da plataforma Revolut”, tal como explica a empresa.

No entanto, há planos para mudar isso:

Estamos trabalhando para melhorar esse aspecto e esperamos que essa opção fique disponível no futuro.”

Isso faz com que o investimento em criptomoedas através da Revolut se assemelhe à compra de um CFDContract for Difference.

Nos dois casos você está negociando de acordo com o valor de um bem associado, mas não tem acesso a esse bem.

Os CFDs são uma forma cada vez mais popular de investir em criptomoedas ou em outros ativos.

Do ponto de vista do investimento, uma corretora de CFDs dá mais opções, já que é uma plataforma especialmente vocacionada para esse tipo de investimento.

É o caso, por exemplo, da eToro, que oferece uma série de outras ferramentas:

  • Permite usar CFDs para lucrar tanto com a subida como com a descida do mercado;
  • Possibilidade de acionar Stop-loss ou Take-profit, para definir momentos automáticos de fechamento de posições;
  • Permite utilizar alavancagem, ainda que essa opção seja apenas recomendada para usuários avançados.

Existem várias formas de investir em ações e em criptomoedas.

Você deve utilizar a plataforma que lhe parece mais adequada ao cumprimento dos seus objetivos.

6. Pagamentos com Cartão Revolut

O cartão Revolut pode ser usado para fazer compras e saques no Brasil.

Por exemlo:

Quem está a viajando para o país pode utilizar esse serviço, já que funciona como se fosse um cartão normal.

No entanto, note que ainda não é possível ter uma carteira de Reais dentro do aplicativo. Ou seja, terá de fazer os pagamento como se estivesse pagando com moedas estrangeiras, como Dólares, por exemplo.

6.1 Fazer compras com criptomoedas

Algo interessante é que, se tiver criptomoedas no seu balanço, essa é uma forma de usá-las para fazer pagamentos com criptomoedas em qualquer lugar.

Uma vez que a Revolut é, primeiramente, uma wallet e um banco digital focado em moedas fiduciárias, é fácil, através do aplicativo, converter o valor de criptomoedas em uma das moedas fiduciárias suportadas.

Assim poderá utilizar as suas criptomoedas (ainda que indiretamente) para fazer compras em qualquer loja, mesmo que ela não aceite criptomoedas.

Lembre-se apenas que terá de fazer sempre essa conversão manualmente. O Coinbase Card (também não disponível no Brasil), por exemplo, já permite a conversão automática de criptomoedas para moedas fiduciárias durante o momento do pagamento.

7. Conclusão

Esse banco digital tem um enorme potencial, apresentando funcionalidades indispensáveis em um mundo cada vez mais global.

Relativamente às opções de investimento que oferece, tem o mérito de facilitar muito a forma como os usuários podem acessar opções como ações ou criptomoedas.

Aquilo que oferece é uma boa plataforma de arranque e que poderá ser indicada para investidores casuais ou à procura do primeiro investimento.

Para quem quiser um pouco mais de profundidade e opções adicionais de investimento ou ferramentas mais completas, existem outras soluções disponíveis para cumprir esse propósito.

✓ Interface Intuitiva
✓ Adequada Para Principiantes
✓ Facilidade em Enviar/Receber Criptomoedas
✓ Banco Digital Inovador
✓ Muitas Ações Disponíveis
✕ Não Disponível no Brasil
✕ Poucas Criptomoedas
✕ Sem Acesso a Chaves Privadas
✕ Sem Ferramentas de Trading

Autor
Lucas Lynch
Lucas Lynch

Lucas é um apaixonado pelos mercados financeiros desde que se lembra. Mas a crise de 2008 ajudou-o a perceber como eles podem ser implacáveis para quem não tem um portfólio diversificado. Por isso se forçou para aprender sobre novos mercado. É particularmente fã de Tecnologia e da forma como ela está mudando os investimentos.

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *